Jonathan Edwards
Pregado na conferência pública em Boston, 8 de julho de 1731.

Deus glorificado na dependência do homem - por Jonathan Edwards

Texto base: 1 Corinthians 1:29, 30, 31

Para que nenhuma carne se glorie em sua presença. Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, que é de Deus fez para nós sabedoria, justiça, santificação e redenção: que, conforme está escrito: Aquele que se gloria, glorie no Senhor.

Edwards começa falando da sabedoria mundo antigo, Corínto não estava distante de Atenas, vs. 22. Contudo, apesar de toda a busca grega, eles não aprenderam nada sobre o Evangelho, não conheceram a Deus, contudo, Deus se revelou agora ali através do Evangelho, e o fez assim para que:

1. Para que o homem não se glorie em si mesmo.

2. A redenção deve ser atingida por uma dependência absoluta e imediata que os homem têm em Deus, é sobretudo o efeito do trabalho de Deus.

Isto quer dizer que todo bem que os homens tem é em e por Cristo. Ele é feito para nós sabedoria, justiça, santificação e redenção.

Sabedoria- gregos- verdadeira luz para o mundo

justiça- justificação

santificação- verdade do coração - justiça imputada.

redenção- livramento da miséria- felicidade e glória.

nossa dependência para com Cristo, também inclui a trindade, já que o Pai nos concedeu estas coisas e o Espírito as vivifica em nós.

DOUTRINA.

1. há uma dependência total e universal dos remidos de Deus : pois ele é a causa original de toda a boa obra, é o meio pelo qual ela é obtida e transmitida.

É de Deus que Cristo se torna nossa, que somos levados a ele, e estão unidos a ele. É de Deus que recebemos a fé para fechar com ele, para que possam ter interesse nele. Ef. 02:08. "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus". É de Deus que realmente receber todos os benefícios que Cristo adquiriu. É Deus que perdoa e justifica e entrega de descer ao inferno, e em seu favor os remidos são recebidos, quando elas são justificadas. Assim é Deus, que liberta do domínio do pecado, nos purifica de nossas imundícia, e muda-nos de nossa deformidade. É de Deus que o redimiu receber todas verdadeiras sua excelência, sabedoria e santidade, e que duas maneiras, viz. como o Espírito Santo por quem essas coisas são imediatamente feito é de Deus, procede-se dele, e é enviado por ele, e também como o próprio Espírito Santo é Deus, por cujo funcionamento e habita o conhecimento de Deus e das coisas divinas, um santo disposição e toda a graça, são conferidos e assegurados. E embora os meios sejam em uso de conferir graça sobre a alma dos homens, mas é de Deus que nós temos estes meios da graça, e é ele que torna eficaz. É de Deus que temos as Sagradas Escrituras, pois eles são a sua palavra. É de Deus que temos leis, e sua eficácia depende da influência imediata do seu Espírito. Os ministros do evangelho são enviados de Deus, e todos os seus suficiência é dele .-- 2 Coríntios. 04:07. "Temos este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós." Seu sucesso depende inteiramente e absolutamente a bênção imediata e influência de Deus.

1. Os redimidos têm tudo a partir da graça de Deus. Foi mera graça que Deus nos deu seu Filho único-gerado. A carência é grande em proporção à excelência do que é dado. O presente foi infinitamente preciosa, porque era de uma pessoa infinitamente digno, uma pessoa de infinita glória, e também porque era de uma pessoa infinitamente próximo e querido de Deus. A carência é grande em relação aos benefícios que temos nos dado nele. O benefício é duplamente infinito, na medida em que nele temos a libertação de um infinito, porque uma miséria eterna, e que também receberá a eterna alegria e glória. A graça nos concedendo esse dom é grande em proporção à nossa indignidade para quem isso é dado , em vez de merecer tal presente, que mereceu infinitamente mal de mãos de Deus. A carência é grande de acordo com a forma de doação, ou em proporção à humilhação e à custa dos métodos e os meios pelos quais uma forma é feito para que tenhamos o dom. Ele lhe deu para habitar entre nós, ele lhe deu para nós encarnados, ou em nossa natureza, e no entanto, como enfermidades sem pecado. Ele lhe deu a nós em um estado de baixo e oprimido, e não somente isso, mas como morto, que ele poderia ser uma festa para as nossas almas.

A graça de Deus concedendo esse dom é mais livre. Foi o que Deus não tinha nenhuma obrigação de doar. Ele poderia ter rejeitado o homem caído, como fez com os anjos caídos;. Fomos nós que nunca fez qualquer coisa para merecer que lhe foi conferido, quando éramos ainda inimigos, e antes que tivéssemos tanto quanto se arrependeu. Foi a partir do amor de Deus que não viu nenhuma excelência em nós, para atraí-lo, e foi sem expectativas de vir a ser correspondido por ela pessoas. E é simples de graça que os benefícios de Cristo são aplicados a tais e tão especial. Aqueles que são chamados e santificados, são atribuí-lo sozinho com o beneplácito da bondade de Deus, pelo qual eles são diferenciados. Ele é soberano, e tem misericórdia de quem ele terá misericórdia.

O homem tem agora uma maior dependência da graça de Deus do que tinha antes da queda. Ele depende da bondade gratuita de Deus muito mais do que ele fez depois. Em seguida, ele dependia da bondade de Deus para conferir o prêmio de perfeita obediência, porque Deus não era obrigado a promessa e conceder essa recompensa. Mas agora somos dependentes da graça de Deus para muito mais, estamos a precisar de graça, não só para a minha glória sobre nós, mas para nos livrar do inferno e da ira eterna. Sob a primeira aliança dependia-se a bondade de Deus para nos dar a recompensa da justiça, e assim vamos fazer agora, mas estamos precisando de Graça Soberana é gratuito e Deus para nos dar que a justiça, para perdoar os nossos pecados, e libertar-nos da culpa e demérito infinita dele.

E como somos dependentes da bondade de Deus para mais agora do que sob a primeira aliança, por isso estamos dependentes de uma muito maior, mais livre e maravilhosa bondade. Estamos agora mais dependente da boa soberana arbitrária e prazer de Deus. Estávamos em nosso primeiro dependente de Deus para a santidade. Nós tivemos a nossa justiça original dele, mas então a santidade não foi dado de forma de boa vontade soberana como é agora. O homem foi criado santos, porque tornou-se Deus para criar todas as suas criaturas sagradas razoável. Teria sido um desprezo à santidade da natureza de Deus, se ele tivesse feito uma criatura inteligente profano. Mas agora, quando o homem caído é santificado, é de mera tolerância e arbitrária, Deus pode, por jamais negar a santidade da criatura caída, se ele quiser, sem qualquer menosprezo a nenhuma das suas perfeições.

E nós estamos não somente na verdade, mais dependente da graça de Deus, mas a nossa dependência é muito mais visível, porque a nossa própria insuficiência e desamparo em nós mesmos é muito mais evidente em nosso estado caído e desfeitas, do que era antes eram pecaminosas ou miseráveis. Estamos mais aparentemente dependente de Deus para a santidade, porque estamos em primeiro lugar de pecado, e totalmente poluído, e depois santo. Assim, a produção dos efeitos é sensível, e sua derivação mais óbvia de Deus. Se o homem nunca foi santa e sempre foi assim, não seria tão evidente, que não tinha, necessariamente, a santidade, como uma qualificação inseparável da natureza humana. Então, nós estamos mais aparentemente dependente da graça livre para a graça de Deus, pois somos justamente o primeiro objeto de seu desagrado, e depois serão recebidos no favor. Estamos mais aparentemente dependente de Deus para a felicidade, sendo o primeiro miserável, e depois felizes. É mais livre e, aparentemente, sem mérito em nós, porque somos realmente, sem qualquer tipo de excelência ao mérito, se pudesse haver qualquer coisa como mérito na excelência de criatura. E não estamos só sem nenhuma excelência verdade, mas estão cheios, e totalmente corrompidos com, o que é infinitamente odiosa. Tudo bem a nossa é mais aparentemente vinda de Deus, porque nós somos primeiro nu e totalmente com qualquer bom-out e, posteriormente enriquecido com tudo de bom.

2. Recebemos tudo do poder de Deus. É a redenção do homem é muitas vezes descrita como uma obra de poder maravilhoso, assim como a graça. O grande poder de Deus aparece para trazer um pecador de seu estado de baixo, desde as profundezas do pecado e da miséria, como um estado exaltado de santidade e felicidade. Ef. 1:19. "E qual é a grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder ."----

Somos dependentes do poder de Deus através de cada passo da nossa redenção. Somos dependentes do poder de Deus para converter-nos e dar a fé em Jesus Cristo, ea nova natureza:. É um trabalho de criação "Se alguém está em Cristo, é nova criatura", 2 Coríntios. 5:17. "Fomos criados em Cristo Jesus," Ef. 2:10. A criatura caída não pode atingir a verdadeira santidade, mas por ser criado de novo. Ef.04:24. "E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade". É uma ressurreição dos mortos. Colos. 2:12-13. "No qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos." Sim, é um glorioso trabalho mais poder do que mera criação ou aumento de um corpo morto à vida, em que o efeito obtido é maior e mais excelente. Isso e ser feliz, espiritual e vida santa, que é produzido no trabalho de conversão, é a maior e mais glorioso efeito de longe, do que simples ser e da vida. E o estado de onde a mudança seja feita - uma morte em pecado, a total corrupção da natureza e profundidade da miséria - é bem mais remota do estado atingido, que a morte em si ou não-entidade.

É pelo poder de Deus também que são preservadas em um estado de graça. 1 Pet. 1:5. "Quem são guardados pelo poder de Deus através da fé para a salvação." Como a graça é a primeira de Deus, por isso é sempre dele, e é mantida por ele, tanto quanto a luz na atmosfera é todo o dia do sol, bem como a primeira aurora, ou sol-nascente. - Os homens são dependentes do poder de Deus para todos os exercícios de graça, e para exercer esse trabalho, no coração, para subjugar o pecado ea corrupção, aumentando os princípios sagrados, e permitindo a produzir frutos de boas obras. O homem é dependente do poder divino para trazer graça à sua perfeição, estou fazendo a alma completamente amável na gloriosa semelhança de Cristo, e enchimento da mesma com uma alegria satisfação e bem-aventurança, e para o aumento do corpo para a vida, e como um perfeito Estado, que deve ser adequado para uma habitação e de órgãos para uma alma tão perfeito e abençoado. Estes são os efeitos mais gloriosa do poder de Deus, que são vistos na série de atos de Deus no que diz respeito às criaturas.

O homem era dependente do poder de Deus em seu primeiro estado, mas ele é mais dependente do seu poder agora, ele precisa do poder de Deus para fazer mais coisas para ele, e depende de um maravilhoso exercício mais do seu poder. Foi um efeito do poder de Deus para o homem santo, o primeiro, mas mais notavelmente isso agora, porque há uma grande oposição e dificuldades no caminho. É um efeito mais gloriosa de poder fazer essa santa que estava tão depravado, e sob o domínio do pecado, do que para conferir santidade naquilo que antes não tinha nada em contrário. É um trabalho mais glorioso do poder para salvar uma alma das mãos do demônio, e dos poderes das trevas e trazê-lo em um estado de salvação, que para conferir santidade onde não havia nenhum preconceito ou da oposição. Lucas 11:21-22. "Quando um homem forte armado guarda seu palácio, seus bens estão em paz, mas quando um mais forte do que virá sobre ele, e vencê-lo, ele tira-lhe toda a sua armadura, em que confiava, e reparte os seus despojos." Por isso, é um trabalho mais glorioso de poder para manter a alma em estado de graça e de santidade, e para transportá-la até que ela é trazida para a glória, quando há muito pecado para permanecer no coração resiste, e Satanás com todos os seus pode adversária, que teria sido ter mantido o homem de cair no início, quando Satanás não tinha nada no homem .-- Assim, temos mostrado como os remidos são dependentes de Deus para todos os seus bom, como todos eles têm dele.

Em segundo lugar, eles também são dependentes de Deus para todos, como todos eles têm por ele. Deus está no meio dela, bem como o autor ea fonte dele. Tudo o que temos, a sabedoria, o perdão dos pecados, libertação do inferno, de aceitação, em favor, da graça de Deus e de santidade, um verdadeiro conforto e felicidade, a vida eterna e glória, é de Deus por um mediador, e este mediador é Deus, que Mediador nós tem uma absoluta dependência, como por meio de quem recebemos tudo. Então, isso aqui é um outro caminho que temos a nossa dependência de Deus para tudo de bom. Deus não nos dá apenas o Mediador, e aceita a sua mediação, e de seu poder e graça dá as coisas compradas pelo mediador, mas ele é o Mediador de Deus.

Nossas bênçãos são o que temos por compra, ea compra é feita de Deus, as bênçãos são comprados dele, e Deus dá ao comprador, e não somente isso, mas Deus é o comprador. Sim Deus é tanto o comprador eo preço, porque Cristo, que é Deus, comprou essas bênçãos para nós, oferecendo a si mesmo como o preço da nossa salvação. Ele comprou a vida eterna pelo sacrifício de si mesmo. Heb.07:27 ". Ele ofereceu a si mesmo." E 9:26. "Ele apareceu para tirar o pecado pelo sacrifício de si mesmo." Na verdade, era a natureza humana, que foi oferecido, mas era a mesma pessoa com o divino e, portanto, era um preço infinito.

Como temos, portanto, o nosso bem através de Deus, temos uma dependência dele em uma relação que o homem em seu primeiro estado não tinha. O homem foi ter a vida eterna, em seguida, através de sua própria justiça, de modo que ele tinha, em parte, a dependência de um em cima do que era em si mesmo, pois temos uma dependência que através do qual temos o nosso bem, assim como a de que os temos, e embora a justiça do homem que ele então dependia era realmente de Deus, no entanto, era sua própria, que era inerente em si mesmo, de modo que sua dependência não era tão imediata de Deus.Mas agora a justiça que nós estamos dependentes não está em nós mesmos, mas em Deus. Somos salvos pela justiça de Cristo: Ele é feito para nós justiça, e é, portanto, profetizou, Jer. 23:06, sob esse nome, "o Senhor nossa justiça". Em que a justiça, somos justificados por é a justiça de Cristo, é a justiça de Deus. 2 Cor.5: 21 "." Que possamos ser feita a justiça de Deus nele. - Assim, temos a redenção, não só todas as coisas de Deus, mas por e através dele, 1 Coríntios. 08:06. "Mas para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas, e nós nele, e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele."

Em terceiro lugar, os remidos todos os seus bons em Deus. Não só temos é dele, e através dele, mas consiste em ele, ele é todo o nosso bem .-- O bom dos redimidos é objetivo ou inerente. Por seu bom objetivo, quero dizer que o objeto extrínseco, na posse e usufruto de que eles estão felizes. Suas boas inerente é que a excelência ou o prazer que se encontra na própria alma. No que diz respeito a ambos que os remidos todos os seus bons em Deus, ou que é a mesma coisa, Deus ele próprio é tudo de bom o seu.

1. Os redimidos têm todos os seus objectivos bem em Deus. O próprio Deus é o grande bem que eles são trazidos para as posses-são e pelo gozo de redenção. Ele é o bem supremo, ea soma de todo o bem que Cristo comprou. Deus é a herança dos santos, ele é a parte de suas almas. Deus é a sua riqueza e tesouro, seu alimento, sua vida, sua morada, os seus ornamentos e diadema, e sua honra e glória eterna. Eles não têm nenhuma no céu, mas Deus, ele é o grande bem que os redimidos são recebidos para a morte, e que estão à altura no final do mundo. O Senhor Deus é a luz da Jerusalém celestial, e é o "rio da água da vida" que corre, e "a árvore da vida que cresce, no meio do paraíso de Deus". As excelências gloriosa e beleza de Deus, será que vai para sempre entreter as mentes dos santos, eo amor de Deus será a sua festa eterna. Os redimidos certamente apreciar outras coisas, eles vão aproveitar os anjos, e gozará de um outro, mas o que eles gozam, nos anjos, ou outro, ou em qualquer outra coisa qualquer que lhes renderá prazer e felicidade, será o que deve ser vista de Deus neles.

2. Os redimidos têm tudo de bom a sua inerente em Deus. bem inerente é duplo, é tanto a excelência ou a lazer. Estes os remidos não apenas derivam de Deus, como a causada por ele, mas tê-los nele. Eles têm excelência espiritual e de alegria por uma espécie de participação de Deus. Eles são feitos por uma excelente comunicação de excelência de Deus. Deus coloca sua própria beleza, ou seja, sua imagem bela, em suas almas. Eles são feitos participantes da natureza divina, ou a imagem moral de Deus, 2 Pet. 1:4. Eles são santos por serem feitos participantes da santidade de Deus. Heb. 12:10. Os santos são lindos e abençoados por uma comunicação da santidade de Deus e alegria, como a lua e os planetas são iluminados pelo sol da luz. O santo tem alegria espiritual e prazer por um tipo de derrame de Deus na alma. Nestas coisas os remidos ter comunhão com Deus, isto é, eles participam com ele e dele.

Os santos têm tanto espiritual excelência e sua bem-aventurança pelo dom do Espírito Santo, ea sua morada no-las. Eles não são apenas causados pelo Espírito Santo, mas são-no como seu princípio. O Espírito Santo se tornar um habitante, é um princípio vital na alma. Ele, na qualidade de, em cima, e com a alma, torna-se uma fonte da verdadeira santidade e alegria, como uma mola é de água, pelo esforço e difusão de si mesma. João 4:14. "Mas aquele que beber da água que eu lhe der, nunca terá sede, porque a água que eu lhe der, será nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna." Comparado com o cap. 7:38-39. "Aquele que crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva, mas isto disse ele do Espírito, que aqueles que crêem nele deve receber." A soma do que Cristo adquiriu para nós, é que a fonte de água de que fala o primeiro desses lugares, e os rios de água viva de que fala o último. E a soma das bênçãos que os remidos receberão no céu, é que o rio da água da vida que procede do trono de Deus e do Cordeiro, Apocalipse 22:1. Que, sem dúvida, significa o mesmo com os rios de água viva, explicou João 7:38-39, que está em outro lugar chamado de "rio de prazeres Deus". Nisto consiste a plenitude do bem, que os santos recebem de Cristo. É pela participação do Espírito Santo, que têm comunhão com Cristo na sua plenitude. Deus deu o Espírito, e não por medida até ele, e eles recebem da sua plenitude, e graça sobre graça. Esta é a soma dos santos "a herança, e portanto que pouco do Espírito Santo que os crentes têm neste mundo, é dito ser o penhor da sua herança, 2 Coríntios. 01:22. "Quem também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nossos corações." E cap. 05:05. "Agora ele que operou-nos para a mesma coisa eu, é Deus, que também tem dado a nós o penhor do Espírito". E Ef. 1:13-14. "Fostes selados com o Espírito Santo da promessa, que é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus."

O Espírito Santo e as coisas boas são faladas nas Escrituras como sendo o mesmo, como se o Espírito de Deus comunicado à alma, composta por todas as coisas boas, Matt. 7:11. "Quanto mais vosso Pai celeste dará boas coisas aos que lhe pedirem?" Em Lucas é, cap. 11:13. "Quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" Esta é a soma das bênçãos que Cristo morreu para adquirir, eo tema do evangelho promessas. Gal. 3:13-14. "Ele foi feito maldição por nós, para que recebêssemos a promessa do Espírito mediante a fé." O Espírito de Deus é a grande promessa do Pai, Lucas 24:49. "Eis que eu envio a promessa de meu Pai, em cima de você." O Espírito de Deus, portanto, é chamado de "o Espírito da promessa", Ef. 01:33. Essa coisa prometida Cristo recebeu, e tinha dado na sua mão, logo que ele tinha terminado a obra da nossa redenção, para outorgar em tudo o que tinha resgatado; Atos 2:13. "Assim sendo pela mão direita de Deus exaltado, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, ele se derramou isto que vós vedes e ouvis". Assim que toda a santidade ea felicidade dos remidos está em Deus. É no sector das comunicações, habitação e agir do Espírito de Deus. Santidade e felicidade está na fruta, aqui e no futuro, porque Deus habita neles e eles em Deus.

Assim, Deus nos deu o Redentor, e é por ele que o nosso bem é adquirido;. Então, Deus é o Redentor e os preços e ele também é o bem adquirido. Assim que tudo o que temos é de Deus, e por meio dele e nele. Rom. 11:36. "Porque dele, e por meio dele e para ele, ou ele, são todas as coisas." O mesmo no grego que está aqui prestados a ele, torna-se nele, 1 Coríntios. 08:06.

II- Deus é glorificado na obra da redenção por este meio, viz. Por não ser tão grande e universal a dependência de um dos redimidos por ele.

1. O homem tem tanto maior ocasião e obrigação de perceber e reconhecer as perfeições de Deus e auto-suficiência. Quanto maior a dependência da criatura está em perfeições de Deus, ea maior preocupação que tem com eles, tanto maior ocasião que ele tem de tomar conhecimento deles. Tanta preocupação maior do qualquer um tem com e dependência do poder e graça de Deus, tanto maior ocasião que ele tem que tomar conhecimento do que poder e graça. Tanto mais imediato e maior dependência existe sobre a santidade divina, tanto maior a ocasião para tomar nota e reconhecer isso. Tanto e mais absoluta dependência maior que temos sobre a perfeição divina, como pertencentes à diversas pessoas da Santíssima Trindade, tanto maior ocasião, temos de observar e da própria glória divina de cada um deles. O que nós estamos mais preocupados com, é o mais certamente no caminho da nossa observação e aviso, e este tipo de preocupação com qualquer coisa, viz. dependência, especialmente se tendem a comandar e obrigar a atenção e observação. Aquelas coisas que não são muito dependentes, é fácil negligenciar, mas nós podemos fazer escassos do que qualquer outra mente que temos uma grande dependência. Em razão de nosso grande dependência assim por diante de Deus e suas perfeições, e em muitos aspectos, assim, ele e sua glória são os mais diretamente definido em nossa opinião, seja quem for o caminho que voltamos nossos olhos.

Temos a maior oportunidade de tomar conhecimento do todo-suficiência de Deus, quando todas as nossas suficiência é assim todos os sentidos dele. Nós temos mais a oportunidade de contemplá-lo como um bem infinito, e como a fonte de todo bem. Tamanha dependência de Deus demonstra o seu auto-suficiência. Tanto como a dependência da criatura é de Deus, tanto maior é o vazio da criatura em si mesmo aparecer, e tanto maior a criatura, o vazio, tanto maior deve ser a plenitude do Ser é que lhe fornece. Nossa ter tudo de Deus, mostra a plenitude de seu poder e graça, com todas as nossas através dele, mostra a plenitude do seu mérito e merecimento, e nosso com todas nele, demonstra a sua plenitude de beleza, amor e felicidade. E os remidos, em virtude da grandeza da sua dependência de Deus, não só têm muito maior a ocasião, mas a obrigação de contemplar e reconhecer a glória e plenitude de Deus. Como é desarrazoado e ingrato que devemos ser, se não reconhecer que a suficiência ea glória que nós absolutamente, de imediato, e universalmente depender!

2. Nisto é demonstrado quão grande é a glória de Deus é considerado comparativamente, ou quando comparado com o da criatura. Por que a criatura sendo assim totalmente e universalmente dependente de Deus, parece que a criatura é nada, e que Deus é tudo. Nisto parece que Deus é infinitamente acima de nós, isso é força de Deus, e sabedoria e santidade, são infinitamente maiores que a nossa. No entanto o grande e glorioso da criatura apreende Deus para ser, mas se ele não for sensível a diferença entre Deus e ele, de forma a ver que essa é a glória de Deus é grande, comparada com a dele, ele não estará disposto a dar glória a Deus devido ao seu nome. Se a criatura em qualquer aspectos, define-se em um nível com Deus, ou se exalta a qualquer concorrência com ele, porém ele pode apreender que grande honra e respeito profundo pode pertencer a Deus, daqueles que estão a uma distância maior, ele não será tão sensível de seu ser devidos. Tanto os homens mais se exaltam, tanto menos eles irão certamente estar dispostos a exaltar a Deus. É certamente o que Deus tem por objetivo na disposição das coisas na redenção, (se nós permitirmos que as Escrituras sejam a revelação de sua mente Deus), que Deus deve aparecer completo, eo homem em si mesmo vazio, que Deus deve aparecer de tudo, eo homem nada. É declarado design é Deus que os outros não devem "glória em sua presença", o que implica que é seu projeto para fazer avançar sua própria glória comparativa. Tanto mais homem "glórias da presença de Deus", muito menos glória é atribuída a Deus.

3. Por seu ser, assim, ordenou que a criatura deve ter tão absoluta e universal, uma dependência de Deus, está previsto que Deus deve ter toda a nossa alma, e deve ser o objeto de nosso respeito e indiviso.Se tivéssemos a nossa dependência, em parte, Deus, e parcialmente em outra coisa, é respeitar o homem seria dividido para as coisas diferentes que ele tinha dependência. Assim seria, se dependesse de Deus apenas para uma parte do nosso bem, e sobre nós mesmos, ou algum outro ser, por outra parte: ou se tivéssemos o nosso único bem de Deus, e por outro que não era Deus, e em algo distinto de ambos, os nossos corações seria dividido entre o bem em si, e ele de quem e por quem dele, nós o recebemos. Mas agora não há nenhum motivo para isso, sendo Deus, não só ele, ou a partir dos quais todos nós temos boas, mas também por quem, e isso é bom em si, que temos a partir dele e através dele. Assim que tudo o que existe para atrair o nosso respeito, a tendência é, ainda, diretamente em direção a Deus, tudo se une em si como o centro.
USE.

1. Podemos aqui observar a maravilhosa sabedoria de Deus na obra da redenção. Deus fez o vazio do homem e da miséria, o seu baixo, perdido e arruinado pelo estado em que ele afundou com a queda, uma ocasião de maior avanço da sua própria glória, como em outras formas, de modo particular neste, que é agora mais universal e muito aparente dependência do homem em Deus. Embora Deus seja o prazer de levantar o homem para fora do abismo sombrio do pecado e da desgraça em que ele estava caído, e extremamente exaltá-lo em excelência e honra, e um alto grau de glória e bem-aventurança, ainda que a criatura tem nada em nenhum aspecto para a glória de, evidentemente, toda a glória pertence a Deus, tudo está em um, ea maioria absoluta e divina na mera dependência, Filho e Espírito Santo Padre. E cada pessoa da Trindade é igualmente glorificado neste trabalho: há uma absoluta dependência da criatura em cada um para todos: Tudo é do Pai, tudo por meio do Filho, e todas no Espírito Santo.Assim, Deus aparece na obra da redenção como tudo em todos. É cabido que aquele que é, e não há ninguém mais, deve ser o Alfa eo Ômega, o primeiro eo último, a todos e apenas, no presente trabalho.

2. Daí as doutrinas e os regimes de divindade que se encontram em qualquer relação oposta a essa absoluta e universal a dependência de um em Deus, derrogar a sua glória, e frustrar o projeto da nossa redenção. E como são os esquemas que colocaram a criatura em lugar de Deus, em qualquer dos aspectos mencionados, que o homem exalta, para o lugar de ambos, Filho ou Espírito Santo Padre, em qualquer coisa que dizem respeito à nossa redenção. No entanto, podem permitir que de uma dependência dos redimidos em Deus, mas negam que a dependência é tão absoluta e universal. Eles possuem uma dependência total de Deus para algumas coisas, mas não para os outros, eles próprios, que dependemos de Deus pelo dom e aceitação de um Redentor, mas negam tão absoluta dependência de um sobre ele para a obtenção de um interesse no Redentor. Eles possuem uma dependência absoluta do Pai para dar seu Filho, e do Filho para trabalhar fora de resgate, mas não tão inteira dependência de um sobre o Espírito Santo para a conversão, e um ser em Cristo, e assim chegar a um título a seus benefícios . Eles têm uma dependência de Deus para os meios de graça, mas não é absolutamente a favor e sucesso desses meios, uma dependência parcial do poder de Deus, para a obtenção e no exercício de santidade, mas não uma simples dependência da graça e soberana arbitrária de Deus. Eles têm uma dependência da graça de Deus para uma recepção em seu favor, tanto que ela é, sem qualquer mérito próprio, mas não como ela é, sem ser atraído, ou movido com qualquer excelência. Eles têm uma dependência parcial em Cristo, como ele por meio de quem temos a vida, como ter comprado novas condições de vida, mas ainda espera que a justiça através do qual temos a vida é inerente a nós mesmos, como ele estava sob a primeira aliança. Agora, o esquema é inconsistente com a nossa inteira dependência de Deus para todos, e de ter tudo dele, através dele, e nele, é repugnante para a concepção e conteúdo do evangelho, e rouba-lo de que Deus contas de seu brilho e glória.

3. Daí podemos aprender uma razão pela qual a fé é o meio pelo qual chegamos a ter um interesse neste resgate, pois há a inclusão da natureza da fé, um reconhecimento consciente de absoluta dependência de Deus neste caso. É muito oportuno que deve ser exigido de todos, a fim de terem o benefício da remição, que deve ser consciente de, e reconhecer, a sua dependência de Deus para ele. É por este meio que Deus tem planejado para glorificar a si mesmo em resgate, e ele está apto que ele deveria pelo menos ter essa glória daqueles que são os sujeitos da redenção, e têm o benefício dela .-- A fé é uma sensatez do que é real na obra da redenção e da alma que crê Acaso depender inteiramente de Deus para toda a salvação, em seu sentido próprio e de agir. Fé humilha os homens, e exalta a Deus, que dá toda a glória da redenção para ele sozinho. É necessário para a fé salvadora, que o homem deve ser esvaziado de si mesmo, ser sensível que ele é "um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu". A humildade é um grande ingrediente da verdadeira fé: aquele que recebe verdadeiramente a redenção, a recebe como uma criança pequena, Marcos 10:15. "Não deve receber o reino dos céus como um pouco, criança, não entra nele. Aquele" É a alegria de uma alma crente para humilhar-se e exaltar só Deus: essa é a linguagem dele, Salmo 115:1. "Não a nós, ó Senhor, não a nós, mas ao teu nome dá glória".

4. Vamos ser exortados a exaltar a Deus sozinho, e atribuir a ele toda a glória da redenção. Esforcemo-nos por obter, e aumento, uma sensatez da nossa grande dependência de Deus, ter nossos olhos com ele sozinho, para mortificar o auto -dependente e auto-justos disposição. O homem é naturalmente superior propensa a se exaltar, e dependem de seu próprio poder ou bondade, como se de si mesmo, ele deve esperar a felicidade. Ele está propenso a ter o respeito alheio aos prazeres de Deus e do seu Espírito, como aqueles em que a felicidade pode ser encontrada .-- Mas essa doutrina deve ensinar-nos a exaltar a Deus por si só, como pela confiança e dependência, por isso, elogios. Aquele que se gloria, na glória do Senhor. Porventura ope homem que ele é convertido e santificado, e que sua mente é dotada de verdadeira excelência e beleza espiritual? que seus pecados estão perdoados, e ele recebeu em favor de Deus, e exaltou a honra ea felicidade de ser seu filho e herdeiro da vida eterna? deixá-lo dar a Deus toda a glória, só o faz diferir da dos piores homens neste mundo, ou a maioria dos miseráveis os condenados no inferno. quem Porventura muito conforto e esperança do homem forte da vida eterna, não deixe seu levantamento esperança -lo, mas dispor-lhe a mais para humilhar-se, para refletir sobre o seu superior a própria indignidade de tal favor, e exaltar a Deus. Existe algum homem eminente em santidade, e abundante em boas obras, deixá-lo levar nada da glória para si mesmo, mas atribuem isso a ele, cuja "obra somos, criados em Jesus para boas obras de Cristo".

__________________________________
FONTES: http://allenvaz.blogspot.com.br
Reforma Radical

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Somente a Escritura - Somente Cristo - Somenta a Graça - Somente a Fé - Glória Somente a Deus!!