Tendo, assim, tentado defender a justiça da Eleição, dirijo-me agora observar a verdade. Eu possivelmente posso ter aqui alguns homens de Deus que não podem receber esta doutrina.

Bem, meus amigos, eu não estou com raiva de vocês por não serem capazes de recebê-la, porque nenhum homem pode recebê-la, a menos que lhe seja dado por Deus. Nenhum cristão jamais se alegrará nisto a menos que ele tenha sido ensinado pelo Espírito. Mas, afinal, meus irmãos e irmãs, se você é um homem regenerado, você acredita nela.

Você está vindo para cima para discutir comigo. Venha e eu me permitirei argumentar com você mesmo e antes de cinco minutos se passarem você vai, com sua própria boca, provar o meu ponto! Venha, meu querido irmão, você não acredita que Deus pode justamente dar a alguns homens mais graça do que para os outros. Muito bem. Vamos, nos ajoelhemos e oremos juntos. Você deve orar primeiro. Você nem bem começa a orar e você diz: “Ó Senhor, se agrade, em sua infinita misericórdia, para enviar o Seu Espírito Santo para salvar esta congregação e se agrade em abençoar os meus parentes segundo a carne”.

Pare! Pare!
Você está pedindo a Deus para fazer algo que, de acordo com sua teoria, não está certo!
Você está pedindo-lhe para dar-lhes mais graça do que eles têm!
Você está pedindo a Ele para fazer algo especial!
Positivamente, você está rogando a Deus que Ele dê graça à seus parentes e amigos e à esta congregação!
Como você pode fazer isso e estar certo em sua teoria?

Se seria injusto Deus dar mais graça a um homem do que para o outro, quão extremamente injusto é você pedir a Ele para fazê-lo!
Se tudo é deixado ao livre-arbítrio do homem, por que você pede ao Senhor para interferir?

Você clama: “Senhor, os traia Senhor; quebrante seus corações, renove seus espíritos”. Agora, eu muito sinceramente uso esta oração, mas como você pode fazer isso, se você pensa isto é injusto no Senhor por dotar este povo com mais graça que Ele faz com o resto da raça humana?

“Oh, mas,” você diz, “Eu sinto que é certo e eu vou pedir-Lhe”. Muito bem, então, se é certo que você peça, deve estar certo nEle conceder!

Deve estar correto nEle conceder misericórdia aos homens e a alguns homens tais misericórdia que poderão ser compelido a serem salvos. Assim, você tem provado meu ponto e eu não preciso de uma prova melhor. E agora, meu irmão, nós cantaremos uma música juntos e vamos ver como podemos chegar lá. Abra o seu hinário e você cante na língua de seu hinário Wesleyano – “Oh, sim, eu amo Jesus Porque Ele me amou primeiro.”

Não, Irmão, isto é calvinismo!
Você tem que deixá-lo fora novamente, você ama Jesus porque Ele primeiro amou você. Bem, como é que você vem a amá-Lo, enquanto outros são deixados a não amá-lo? Isso é a sua honra ou a Honra dEle?

Você diz: “É para o louvor da graça. Deixe a Graça ter o louvor”. Muito bem, irmão. Vamos começar muito bem, depois de tudo, pois, embora não possamos concordar na pregação, ainda estamos de acordo, como você vê, na oração e louvor!

Pregando há alguns meses, no meio de uma grande congregação de metodistas, os irmãos e irmãs estavam vivos, dando todos os tipos de respostas ao meu sermão, balançando a cabeça e clamando: “Amém!”, “Aleluia”, “Glória a Deus!” e semelhantes.

Eles completamente concordaram comigo!
Meu espírito foi agitado e eu preguei com uma força e vigor incomuns. E quanto mais eu pregava, mais eles gritavam: “Amém!”. “Aleluia”, “Glória a Deus!”

Finalmente, uma parte do texto me levou ao que é denominado Alta Doutrina. “Então”, eu disse: “Isso me leva a Doutrina da Eleição”. Puxei o fôlego profundamente. “Agora, meus amigos, vocês acreditam nisso,”. Eu disse. Eles pareciam dizer. “Não, nós não”. Mas vocês o fazem e vou fazer vocês cantarem “Aleluia”, sobre isto. Vou então pregar isto para que vocês a reconheçam e creiam!

Então eu o coloquei assim – Será que não há diferença entre você e os outros homens? “Sim, sim! Glória a Deus, glória! “Há uma diferença entre o que você era e o que você é agora?” “Oh, sim! Oh, sim!”. Não está sentado ao seu lado um homem que foi à mesma capela que vocês; ouviu o mesmo Evangelho, mas ele não é convertido e vocês são convertidos.

Quem fez a diferença – você ou Deus? “O Senhor!”, Disseram, “o Senhor! Glória! Aleluia”. Sim, gritei, e isto é a Doutrina da Eleição!


___________________________________________________
Apenas um trecho do e-book “Eleição e Santidade”, por Charles Haddon Spurgeon
E-book completo aqui: http://oestandartedecristo.com/site/wp-content/uploads/2014/02/Sermão-Nº-303-Eleição-e-Santidade-Charles-Haddon-Spurgeon.pdf
♦ Fonte: www.SpurgeonGems.org
♦ Tradução: www.OEstandarteDeCristo.com
Reforma Radical

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Somente a Escritura - Somente Cristo - Somenta a Graça - Somente a Fé - Glória Somente a Deus!!