Paul Washer responde à frustrações de pessoas com seus pastores e o desejo de tê-lo como pastor no lugar.

Entrevistador: Algumas pessoas que acompanham seu ministério na internet ficam meio frustrada com seus próprios pastores e têm certas expectativa para seus pastores que estão sempre pastoreando o mesmo rebanho. Ele prega no mesmo púlpito todos domingos. Ele faz sermões expositivos no longo de um Livro, e elas querem que o ministério de púlpito de seus pastores se pareça com seu ministério itinerante com a paixão e o zelo que você prega, e querem um pastor que é basicamente uma cópia de Paul Washer. Qual conselho você daria para jovens que se sentem dessa forma?

Paul Washer: Eles não sabem o que pedem. Ouça, algumas vezes eu saio de uma igreja e quando estou lá parado com o pastor apertando as mãos das pessoas, e elas estão passando... Eu já ouvi pessoas que vem a mim e dizem: “Eu nunca ouvi nada assim. Isso foi mais verdade do que eu tenho ouvido em cinco anos e eu... cara, eu queria que pudéssemos ouvir pregações assim nesta igreja.” Isso é simplesmente o Diabo. É muito cruel dizer isso para aquele homem. Ou então dizer: “Nós nunca ouvimos estas verdades antes.”

Deixe-me apenas dividir algo com você de quando eu era um pastor no Peru. Quando eu era um pastor, eu aprendi que homens não aprendem coisas porque ouviram uma vez. Se fosse ensinar algo sobre certa doutrina ou certa coisa, falava sobre isso por meses de uma vez só e quando terminasse de ensinar sobre isso, esgotando tudo que sabia, eu ainda continuava. Eu convidava pastores piedosos aprovados e missionários piedosos que eu sabia que seriam uma grande benção para a igreja. Conseguia que eles viessem e ensinassem o mesmo assunto, e quando os membros estavam saindo do culto, estávamos lá apertando as mãos e eles olhavam para aquele missionário e dizendo: “Nós nunca ouvimos nada assim antes em nossas vidas.” E isso só te mostra que é parte de ser um ministério itinerante. O que eu gosto de fazer, e eu faço na maioria das igrejas nas quais vou, honestamente. É começar a pregar quase exatamente as mesmas coisas que a maioria de seus pregadores está pregando. Ora, talvez de uma forma diferente, mas isso confirma ainda mais seu ministério do que qualquer coisa. Outra coisa, eu fui convidado a pregar por uns três meses em uma pequenina igreja ano passado no Alabama. Ah, eu adorei. Eu adorei. Eu meio que fui seu pastor interino por três meses, e um grupo de rapazes que me ouviu pregando lá, veio. Bom, cerca de duas semanas depois, eles foram a um dos líderes da igreja e disseram: “Tenho uma pergunta.” E o líder disse: “Qual?” e por acaso o líder era um bom amigo meu... e disseram: “O irmão Paul Washer mudou seu ministério? Ele se comprometeu? Há algo acontecendo em sua vida?” “Bom, por quê?” o homem disse. “Por quê?” Continuaram, “Bom, sua pregação está tão diferente.” “Vocês estão dizendo isso porque ele mudou de seu modo de pregar itinerante para o modo pastor, para que possa alimentar as ovelhas numa base de longo prazo.” Mas eu quero prevenir os pastores. A pregação expositiva, pregando ao longo de um livro, se está sendo chata, você não está pregando corretamente. Quero dizer, como se pode pregar sobre o livro de Efésios sem paixão? Sabe, você consegue fazer isso sem que isso tenha impacto sobre as pessoas? Então quero que olhe por dois ângulos, porque há muitos pastores por aí que não estão alimentando suas ovelhas. Sabe, eis algo que eu gostaria de recomendar. Há muitos anos atrás, Warrem Wiersbe escreveu um livro chamado “Caminhando com os Gigantes”, e nele colocou todos esses testemunhos de uma página e meia de homens e mulheres de Deus que tinham sido usados através dos séculos e, sabe, eu fiquei estudando aquele livro por muito tempo. Você quer saber por quê?

Me ouça, pastor. Quando chegava ao ponto em que eu não queria orar – simplesmente não estava motivado a orar – eu abria Caminhando com os Gigantes e lia sobre, sei lá, Hyde Orador da Índia (John Hyde), ou David Breiner, e isso me constrangia a orar. Ou estava sentado numa segunda-feira, e não estava pronto para me dedicar ao sermão da semana seguinte, simplesmente meio que apático. Eu abria aquele livro e lia sobre Alexander McLaren que gastou sessenta horas num sermão, e isso me motivava a voltar a estudar. Sabe, muitas pessoas que dizem isso estão erradas, mas de diversas formas, pessoas dizem isso porque está certo. Os pastores não estão estudando tempo suficiente para dar a suas ovelhas uma palavra de Deus.

Entrevistador: Parece ser a mentalidade de hoje, de que você como um pastor não é convidado a ser um dos pregadores principais, ou o orador principal de uma dessas grandes conferencias onde todos os grandes nomes estão juntos, então você é quase nada. Mas qual você pensa ser o dano que tem sido feito hoje com a falta de estima e respeito que deveriam ser dados ao fiel, mesmo que impopular, pastor local?

Paul Washer: Nós crescemos como uma cultura que reverencia heróis, celebridades, quer sejam dignos ou não de os termos feito heróis ou celebridades, porque simplesmente sentimos que precisamos deles. Uma das coisas que está me aterrorizando é que há em Círculos Reformados, em todo lugar, esse “Círculo de Celebridades.” E em toda conferencia, haverá aqueles homens. Ora, esses homens, eu poderia citar seus nomes ou eu não sou digno de carregar suas sandálias. São homens honoráveis e isso não é pelos homens em si. Acontece que a comunidade Reformada e muitos jovens estão apenas... Apenas olhando para homens agora. E muitas vezes estão olhando para cá para a pessoa que escreve os livros e a pessoa que pregar na conferência, e não estão honrando aquele homem que os alimenta, ora por eles, intercede por eles, os visita no hospital... Veja, o que precisamos perceber é que só precisamos esperar até que jesus volte, e quando Ele voltar, Ficaremos muito surpresos. Muito surpresos. Sabe, não é difícil pregar numa conferência. Bom, algumas vezes é quando todos estão furiosos com você, mas realmente não é difícil pregar numa conferência. Por quê? Você é convidado a ir a uma conferência, todos querem te ver e tal... Isso não é difícil. Isso não demonstra piedade. O que demonstra piedade é o homem que ministra para o povo de Deus e é escondido e não reconhecido. Mas quando o Grande Pastor voltar, esse homem será reconhecido.

__________________________________
Fonte: http://youtu.be/pLOGIKCYuQU
Transcrição: Necilia Paula
trovian.blogspot.com.br
Reforma Radical

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Somente a Escritura - Somente Cristo - Somenta a Graça - Somente a Fé - Glória Somente a Deus!!